terça-feira, 22 de junho de 2010

Um conto de fadas

João era um homem bom e feliz. Ele vivia em um reino onde a prosperidade reinava, até o dia em que uma praga pousou neste lugar. Os habitantes a chamaram de nuvem negra, não sabiam de onde ela vinha nem sabiam quando iria. O único conhecimento sobre essa doença era o de que ela matava, mas não uma morte comum de quando se pega uma pneumonia ou uma tuberculose. As pessoas adquiriam uma coloração negra feito breu nas peles em seguida iam secando lentamente, não havia remédio ou cura. As pessoas continuavam a viver e enterrar seus mortos. Dentre eles os pais e irmãos de João também se foram.
Mesmo com sua tragédia ele continuava feliz e bondoso. Emprestou sua casa para abrigar os doentes e aqueles que insistiam em achar uma cura para a doença. Um homem malvado se aproveitou da situação e ficou com a casa de João. O tempo passou e ,assim como veio, a nuvem negra se foi.
João decidiu viajar pelo reino. Passou por lugares lindos, conheceu pessoas maravilhosas, ele estava feliz.
Certo dia, ele chegou a um vilarejo muito pobre. Homens, mulheres e crianças passavam muita fome.
Uma mulher de faces murchas, que estava com crianças de faces murchas estendeu a mão em sua direção.
-Uma ajuda, por favor!Estou com fome, muita fome!Minhas crianças também estão.
João pegou sua sacola de moedas, retirou umas e deu para a senhora, esta o retribuiu com um sorriso.Em seguida, outras pessoas vieram pedindo ajuda.Um de cada vez ele deu moedas,ao fim,notou que não havia sobrado nada para ele.Mas não se importava pois estava feliz em ajudar as pessoas que necessitavam.Continuou a andar pelo vilarejo até que uma criança o parou pedindo ajuda.
-Desculpe, mas não tenho moeda alguma. -Olhando para o rosto triste e franzino da criança, que só vestia uma calça rasgada e sapatos, retirou sua manta de viajem e deu a ele.Depois,vieram outras tantas crianças com suas tantas necessidades. Acabou ficando nu no meio do vilarejo e as pessoas começaram a apontar e rir dele. Com vergonha ele fugiu para uma floresta próxima.
O lugar era sombrio e frio, as arvores estava com poucas folhas, seus ganhos tortos fechavam qualquer brecha em que a luz pudesse penetrar. Ao cair da noite ele se sentiu sozinho no frio penetrante, mas estava feliz em saber que as pessoas do vilarejo estariam bem com as doações que tinha feito.
Os galhos atrás dele se mexeram, ele olhou em direção ao barulho e de lá saíram criaturas que nunca tinha visto em sua vida.
-Estamos com fome, tem algo que possa nos dar?-João olhou para os lados e depois para si.
-Não tenho nada, dei tudo para as pessoas do vilarejo - as criaturas abaixaram a cabeça tristemente.
-Talvez possa nos dar um pouco de sua carne, não sentirá falta de uns pedaços-Depois de pensar um pouco ele deixou.
Os seres avançaram e aos poucos devoraram sua carne. No final do banquete a única parte que sobrou foi sou cabeça.
-Garoto bobo!Entregou tudo que tinha para terminar assim. -Os demônios gargalhavam.
João sorriu e lagrimas de sangue percorreram sua face enquanto dizia-Estou feliz!Estou feliz!
João era um homem feliz e bom.

3 comentários:

  1. aadoreei , muiita criatividade .

    ResponderExcluir
  2. Acho q vc iria gostar do livro que estou lendo. Se chama "103 contos de fadas", é uma compilação da autora Angela Carter.

    ResponderExcluir